• Shortcuts : 'n' next unread feed - 'p' previous unread feed • Styles : 1 2

» Publishers, Monetize your RSS feeds with FeedShow:  More infos  (Show/Hide Ads)


Date: Monday, 01 Sep 2014 22:25

Unknown-660x572

O 4Chan é relacionado a tanta coisa (e outras tantas são relacionadas a ele sem o ser de fato) que não é de espantar que isso possa ter nascido lá.

Aparentemente uma galera esperta começou um novo projeto para criar uma versão do Skype (a bem da verdade um software de VoIP) utilizando criptografia forte e bibliotecas livres.

Começando muito rapidamente o projeto, do jeito que só o trabalho colaborativo consegue ser, eles logo batizaram a iniciativa de TOX, com conta no GitHub e tudo mais. A ferramenta, surpreendentemente fácil de usar, já teve sua primeira versão disponibilizada para o público e a equipe responsável por ela tenta agora certificar o código junto a agências independentes, para provar que ele é seguro.

O objetivo principal por trás do TOX é criar uma ferramenta de comunicação que, além de segura, não dependa de nenhum servidor central e utiliza o mesmo tipo de tecnologia que o Bit Torrent usa para efetuar conexões diretas entre usuários. O protocolo desenvolvido por eles já conta com diversos clientes, cada um com diferentes recursos, mas o core do sistema é o mesmo em todos.

Eles estão prometendo versões oficiais da ferramenta para praticamente todos os sistemas operacionais existentes. A implementação mais nova, chamada convenientemente de uTOX, promete facilitar muito a criação das chaves públicas necessárias para que a comunicação segura de fato ocorra.

O projeto caminha a passos largos. Resta saber se no futuro ele terá penetração suficiente para concorrer com o todo-poderoso Skype e se representará alguma ameaça à hegemonia microsoftiana.

Fonte: Wired.

The post Um Skype pra chamar de seu? appeared first on Meio Bit.








Author: "Silmar Geremia" Tags: "Open-Source, p2p, Internet, skype, VoIP,..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Monday, 01 Sep 2014 21:32
A sonda Opportunity em Marte (simulação da NASA).

A sonda Opportunity em Marte (simulação da NASA).

Qualquer um que já teve que atualizar o software de um equipamento eletrônico, seja um modem, um roteador doméstico ou um smartphone sabe que existe a “hora do medo”, aquele momento em que você sabe que já fez todos os preparativos, mas quando apertar “Enter”, bate aquele pequeno desespero por não saber se o processo vai terminar bem e tudo vai funcionar ou a coisa vai degringolar e transformar o seu querido aparelho em um peso de papel caro.

Agora imagine o que deve passar pela cabeça da pessoa na NASA que vai apertar o botão para formatar a memória da sonda Opportunity. O procedimento será uma tentativa de resolver uma série de erros que fizeram a sonda parar de trabalhar e tem se repetido com alguma frequência ao longo do último mês.

A sonda, que está com mais de 10 anos de idade (rolou até festa quando a Curiosity chegou por lá) e já superou em muito o tempo estimado para a missão, teve que se reiniciar várias vezes por causa do que a NASA acredita ser um problema de desgaste da memória flash onde os dados são armazenados. Partes da memória flash podem se desgastar após muitos ciclos de gravação/regravação e é possível que a sonda esteja tentando usar exatamente essa parte da memória problemática.

Formatar a memória da Opportunity vai fazer exatamente o que você está pensando, marcar as partes ruins para que elas não sejam mais usadas. A NASA diz que é um procedimento simples e que toda a memória será copiada para os servidores do projeto antes da formatação em si acontecer, no que deve ser o backup mais longo já feito na nuvem! :-)

É a primeira vez que a nossa querida sonda, que está a 125 milhões de quilômetros de casa, terá sua memória formatada, mas não é a primeira vez que a NASA faz isso. A Spirit já passou por um procedimento semelhante após cinco anos de missão e saiu relativamente incólume, tendo perdido apenas aquelas fotos dos aliens no processo.

A coisa toda deve acontecer no mês que vem, mas independente da quantidade de checagens de segurança que a equipe deve levar a cabo antes do momento fatídico, aposto que o engenheiro deve apertar o botão e fechar os olhos em uma prece silenciosa. Como naquela vez que o firmware da Curiosity foi atualizado.

Fonte: The Verge.

The post Um procedimento trivial: formatar a memória da sonda Opportunity appeared first on Meio Bit.








Author: "Silmar Geremia" Tags: "nasa, Espaço, Opportunity Mars, Mars Ro..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Monday, 01 Sep 2014 19:00

Captura de Tela 2014-09-01 às 15.01.57

Persona 5, a mais nova iteração do spin-off da série sobrenatural da Atlus Shin Megami Tensei (que por si só já era um spin-off da série Megami Tensei, que nasceu no Famicom e MSX em 1987) era esperado para 2014 pelos fãs, entretanto a produtora resolveu postergar os planos para o título: ele somente dará as caras no próximo ano, até para justificar que não somente o PS3, mas agora também o PS4 será agraciado com o game.

O anúncio foi feito durante a conferência da Sony na TGS 2014, a maior feira de videogames do ocidente (e sob muitos aspectos a única que realmente importa para boa parte dos desenvolvedores japoneses, e nem falo de empresas pequenas: não é de hoje que a estúdios de nome como a Square-Enix não dão tanta bola para a E3, reservando suas maiores novidades para a convenção japonesa). O lançamento original de Persona 5 era esperado para o “inverno de 2014″, mas como o PS4 agora também contará com o título, o atraso é até compreensível.

O único porém é o fato de que a Atlus ainda não definiu uma data final para o lançamento do game, bem como não divulgou maiores informações. Foi entretanto apresentado um teaser em que somos apresentados ao inevitável protagonista da história. Como a Atlus dificilmente dá ponto sem nó, é de esperar que a trama de Persona 5 vai continuar envolvendo colegiais, ambientes urbanos e batalhas épicas entre demônios e outras entidades. Resta saber quando o game chegará e se as versões serão muito diferentes entre si (em se tratando da Atlus, eu acredito que não).

Fonte: DT.

The post Persona 5 será lancado para PS4 e PS3 em 2015 appeared first on Meio Bit.








Author: "Ronaldo Gogoni" Tags: "Atlus, PS4, Sony, Shin Megami Tensei, Pe..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Monday, 01 Sep 2014 18:00

Richard-Feynman-Messenger-Lectures-TUVA-Project

O Dr. Richard Feynman (1918-1988), um dos gurus da Teoria Quântica, da Nanotecnologia e agraciado com o Nobel de Física em 1965 é talvez uma das maiores autoridades do campo em todos os tempos. Dono de uma maneira de ensinar ímpar, ele deu palestras antológicas explicando conceitos básicos de sua área de atuação com uma naturalidade que só é comparável a de Carl Sagan quando o mesmo falava de Astronomia e Astrofísica. Não  é de se estranhar portanto que os vídeos de suas apresentações na California Institute of Technology (vulgo CalTech) sejam tão famosos até hoje.

Os  vídeos das palestras até estão disponíveis online, entretanto o bruto de todo o conhecimento que ele compartilhou com os alunos da CalTech se encontram na coletânea de três volumes  The Feynman Lectures on Physics, talvez uma das coleções de física mais lidas e essenciais para quem quer entender mais sobre o assunto. O grande problema é que os livros não são tão acessíveis assim: como qualquer material técnico eles são caros pra chuchu, mas acredito eu que Feynman gostaria que mais e mais pessoas tivessem acesso a seu material, até porque ele utilizava de uma linguagem acessível a todos.

Felizmente o pessoal do CalTech e do site Feynman Lectures também pensam assim. Portanto, a partir de agora qualquer um pode acessar o conteúdo integral de suas palestras num hotsite criado em parceria pelos dois grupos e montado em HTML5, permitindo que qualquer um com um pouquinho de curiosidade possa ler o trabalho desse educador excepcional na íntegra. E graças à escalabilidade, textos, imagens e gráficos podem ser ampliados sem distorções.

Assim como aplaudi de pé a iniciativa de Seth McFarlane que levou à criação do acervo digital de Carl Sagan, esta atitude do CalTech e do Feynman Lectures deve ser comemorada e mais do que isso, divulgada para todos: não é sempre que temos um material tão bom disponível de graça, fruto do trabalho de um dos maiores divulgadores científicos que já tivemos.

Fonte: CalTech.

The post Leia a íntegra das palestras de Richard Feynman na faixa appeared first on Meio Bit.








Author: "Ronaldo Gogoni" Tags: "Ciência, educação, Richard Feynman, D..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Monday, 01 Sep 2014 17:39

TwjROZN

Quando o hacker conhecido como “4 Chan” vazou fotos íntimas e pessoais de Jennifer Lawrence e uma centena de outras celebridades, fez mais do que dar início ao The Fappening, o evento serviu para comprovar uma das bases da internet, sua resistência a ataques e danos externos.

Criada durante a Guerra Fria com a especificação de funcionar mesmo que grandes nós fossem destruídos por ataques nucleares, a internet é um tributo à computação distribuída, o que é excelente para preservar informação mas péssimo se queremos que essa informação desapareça. Um velho ditado diz que tirar algo da internet é como remover xixi de piscina. Possível até é, mas é um pesadelo tecnológico, custará uma fortuna e do ponto de vista da homeopatia você só estará potencializando o conteúdo removido. Efeito Streisand.

No final do último Capitão América os arquivos da SHIELD são disponibilizados na internet, para desespero de Robert Redford. É um caminho sem volta. Com as fotos vazadas ocorreu o mesmo. Sites de imagens inicialmente deixaram rolar, mas com ameaças Legais começaram a “mostrar serviço”, mas é uma briga desigual. Não há como o Imgur apagar álbuns tão rápido quanto são subidos. Milhares de pastas no Dropbox, Gdrive e OneDrive estão neste momento compartilhando as imagens.

Há torrents com coletâneas e o Mega, o serviço do nosso candidato a supervilão preferido Kim Dotcom está sendo usado de forma pesada, pois ele não moveu uma palha para apagar nada.

Esse tipo de distribuição de conteúdo é o pesadelo temido por todo mundo que levava Assange e Snowden a sério, mas não aconteceu por uma questão específica: ego. Os dois querem ser vistos como heróis, querem os louros da aprovação geral. Snowden escolheu utilizar o Guardian, um jornal tradicional para divulgar seu material. Com direito a gente viajando pra levar pendrives do Brasil para Londres. Em 2014. HELLO? Tantos anos de bravatas sobre criptografia que nem a NSA quebra e precisa de um porcaria de um motoboy?

O hacker das celebridades é um canalha, claro, o que ele fez é muito feio, mas ele teve a decência de não vender o conteúdo para o TMZ. Pediu doações, sim, mas enquanto isso disponibilizou toneladas de material. Para todo mundo. Moralmente ele é muito mais próximo dos ideais de informação livre e democrática do que Snowden e Assange, que retém informação e basicamente chantageiam os envolvidos.

Atitude bem diferente de Bradley — agora Chelsea — Manning, que diante do que achou uma injustiça, coletou toda a informação que conseguiu e enviou em lote para o Wikileaks, que então passou a divulgar pingadinho os textos comprometedores.

Que fique a lição: você acha que está fazendo o Bem, divulgando a informação? Então divulgue para todo mundo. Do contrário você só quer holofotes.

Leia também:

The post O dia em que o 4Chan mostrou a Snowden como se faz appeared first on Meio Bit.








Author: "Carlos Cardoso" Tags: "Assange, 4chan, Jlaw, Web 2.0, thefappen..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Monday, 01 Sep 2014 17:30

castlevania-lord-of-shadow

Tendo trabalhado por 17 anos na Konami e participado da criação de jogos das séries Metal Gear Solid, Silent Hill, Suikoden e Pro Evolution Soccer, o game designer Dave Cox anunciou através de sua conta no Twitter que não faz mais parte da empresa.

Alegando a busca por novas oportunidades, ele agradeceu a oportunidade que a companhia lhe deu para dirigir o Castlevania: Lords of Shadow e se disse surpreso por este ter sido o capítulo da franquia que vendeu mais cópias, algo que deve mesmo ser motivo para muito orgulho.

Embora tenha recebido uma bela ajuda de Hideo Kojima para desenvolver tal jogo, Cox merece elogios por ter conseguido fazer com que a série enfim tivesse uma boa transição das duas para as três dimensões, mesmo que isso tenha significado um jogo que de Castlevania pouco apresentava. A sua continuação por sua vez acabou não sendo tão bem aceita, mas ainda assim podemos dizer que ele marcou seu nome na série.

Como os dois Lords of Shadow foram desenvolvidos pelo estúdio espanhol Mercury Steam, que no momento está trabalhando em uma franquia inédita para a nova geração, é difícil saber se a saída de Cox poderá afetará a criação de novos Castlevanias, mas chama a atenção o fato de que há poucos meses Koji Igarashi, outro nome importante envolvido com a marca, também deixou a Konami.

Tomara que essas saídas não signifiquem que a franquia passará um bom tempo sem novidades, mas quem sabe isso não seja a brecha para que ela reapareça com novas ideias e de preferência, em duas dimensões.

Fonte: Gamespot.

The post Série Castlevania perde mais um nome importante appeared first on Meio Bit.








Author: "Dori Prata" Tags: "Castlevania, Dave Cox, Konami, Games, Mi..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Monday, 01 Sep 2014 16:30

4113-thumb

Presente na IFA 2014 que começa nesta semana, a Microsoft está se movimentando para apresentar novos smartphones com uma proposta um tanto diferente de seus rivais: ao invés de focar em dispositivos de ponta, melhorar a experiência de suas câmeras. Tanto que um dos gaveta está sendo chamado de “selfie phone”.

O aparelho em questão é o Lumia 730, um modelo de entrada cuja atração principal é uma câmera frontal com 5 megapixels, não muito aquém da principal de 8 MP. Como a cultura do selfie está bem difundida hoje em dia, permitir que seus usuários tirem imagens de si menos ou façam videoconferências via mobile utilizando Skype ou apps similares com qualidade se retornou uma preocupação genuína. Tanto que até mesmo o convite de lançamento do aparelho exibe uma imagem selfie.

20140901lumia-h1

 

Entretanto o Lumia 730 trás outras curiosidades. Ele é o primeiro aparelho a vir referenciado como fabricado pela Microsoft Mobile, embora a marca Nokia permaneça em sua carcaça (a princípio, imagens vazadas a restringem à traseira do smartphone).

Não obstante, seguindo a atual forma de trabalhar de Redmond o projeto foi dividido em dois modelos: o 730 teria conectividade 3G e dois chips SIM, enquanto o 735 virá com 4G/LTE. De resto eles são iguais: SoC Snapdragon 400 da Qualcomm, 1 GB de RAM, 8 GB de armazenamento interno (expansível via Micro-SD), display de 4,7 polegadas com resolução HD (312 ppi), bateria de 2.000 mAh e claro, Windows Phone 8.1.

Além desses modelos, é esperado que a Microsoft apresente um modelo chamado Lumia 830, que pode vir com uma câmera PureView.

Fonte: PA.

The post Lumia 730 e 735, os smartphones selfies da Microsoft appeared first on Meio Bit.








Author: "Ronaldo Gogoni" Tags: "Comunicação Digital, lumia, IFA 2014, ..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Monday, 01 Sep 2014 16:00

grandt-theft-auto-5

Nos últimos dias começou a circular pela internet um rumor que, se confirmado, poderá dar uma bela chacoalhada na indústria. De acordo com Mike Hickey, analista da empresa Benchmark, a Activision estaria interessada em expandir seus tentáculos por Holywwod e uma maneira de facilitar isso seria adquirindo um das maiores desenvolvedoras de games da atualidade, a Rockstar.

Para ele, o investimento faria todo o sentido, já que a editora levaria diversas séries de peso, uma grande quantidade de profissionais qualificados e uma companhia que ainda tem cerca de US$ 1 bilhão em caixa.

Por parte da Rockstar, o negócio também seria vantajoso pois poderiam aproveitar a proximidade da Activision com os grandes estúdios de cinema e se a compra for efetivada, faria com que os responsáveis pelo Grand Theft Auto se juntassem a outras duas gigantes, Bungie e Blizzard.

Por mais que tudo ainda gire no campo da especulação, a notícia foi suficiente para fazer com que as ações da Take-Two, atual proprietária da Rockstar, subissem 4% na bolsa, mas temos que levar em consideração que esta não é a primeira vez que tal rumor surge, sendo que que em 2008 a EA teria feito uma oferta de US$ 2 bilhões pela estúdio, o que na época foi considerado muito baixo.

Ainda assim, os fãs da Rockstar já estão com aquela incomoda pulga atrás da orelha, pois de uma desenvolvedora reconhecida pela qualidade de seus jogos, ela poderia passar a anualizar suas franquias, que provavelmente seriam prejudicadas pela falta de inovação.

Mesmo não gostando muito da ideia de demonizar as editoras, algo que muitos adoram fazer com a EA e com a própria a Activision, este é um negócio que eu realmente não gostaria de ver. No fundo acho que os possíveis novos donos não conseguiriam fazer com que a Rockstar lançasse um GTA por ano, mas é difícil olhar para essa história e não temer pelo pior.

É como dizem, em time que está ganhando não se mexe, então Activision, por favor não mande uma cabeça de cavalo para a casa dos que precisam tomar a decisão, ok?

Fonte: Investors.com.

The post Por favor Activision, não compre a Rockstar! appeared first on Meio Bit.








Author: "Dori Prata" Tags: "Indústria, Especulação, Cinema, Rumor..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Monday, 01 Sep 2014 13:02

umd-passport

Quando o PlayStation Vita foi anunciado, uma das maiores preocupações daqueles que pretendiam investir no portátil era em relação a o que fariam com os jogos que haviam adquirido para o seu antecessor. Como o então novo aparelho não rodaria os criticados UMDs, não teríamos como aproveitar os disquinhos, mas a Sony encontrou uma maneira de contornar o problema. Quer dizer, pelo menos no Japão.

Através de um serviço conhecido como UMD Passport, por lá os jogadores tinham a possibilidade de obter versões digitais dos jogos que já possuíam fisicamente e para isso precisavam “apenas” pagar uma taxa que variava entre 500 e 1.500 ienes (entre 4,80 e 14,40 dólares).

Suportando 374 títulos, a medida pode estar longe do ideal, mas pelo menos existe e em um videogame criticado pela falta de jogos, ela permitiu que muitos aproveitassem nele séries extremamente populares, como Gran Turismo, Metal Gear Solid, Monster Hunter e Final Fantasy.

Eis que para a surpresa de todos e provavelmente visando diminuir o impacto causado pelo anúncio dos novos 3DSs, a Sony revelou que até o final deste ano liberará para os assinantes da PS Plus, TODOS os jogos do PSP que fazem parte do programa, uma medida que provavelmente alegrará muitos donos  de um Vita.

Como o UMD Passport nunca deu as caras deste lado do planeta, a chance de algo semelhante acontecer por aqui é praticamente inexistente e para dizer a verdade, a oferta é tão boa que ainda estou na dúvida se ela será assim mesmo ou funcionará apenas para os jogos que o usuário tenha fisicamente, mas de qualquer maneira, não deixa de ser um belo agrado oferecido pela fabricante.

Como sabia que eu dificilmente poderia jogar gratuitamente no Vita os títulos que já tinha fisicamente para o PSP, optei por não me desfazer do antigo portátil, mas depois de passar um tempo com o novo, é muito estranho voltar a jogar no PlayStation Portable e por isso adoraria ter uma maneira de aproveitar meus UMDs.

Sonhos a parte, bem que a Sony poderia aumentar a oferta para os assinantes da PS Plus por aqui, adicionando mais dois jogos do PSP à sua lista mensal de títulos, pois embora isso esteja longe do que será visto no Japão, acho que poderia tornar o Vita um pouco mais interessante no ocidente.

Update: está confirmado, a Sony não liberará todos os jogos, apenas deixará de cobrar a taxa para que os jogadores baixem a versão digital dos jogos que já possuem em UMD.

Fonte: Siliconera.

The post Assinantes da PS+ japonesa ganharão mais de 350 jogos de PSP appeared first on Meio Bit.








Author: "Dori Prata" Tags: "UMD Passport, Sony, PS Plus, UMD, PSP, G..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Monday, 01 Sep 2014 11:30

icewind-dale

Desenvolvido originalmente pela Black Isle Studios e lançado em 2000, o Icewind Dale foi um jogo que conquistou uma boa quantidade de fãs, principalmente por sua profundidade e por conseguir reproduzir de maneira satisfatórias as regras do RPG Dungeons & Dragons.

Embora tenha recebido uma continuação alguns anos depois, a franquia acabou ficando dormente por vários anos, mas em breve isso deverá acabar, tudo graças a uma nova parceria entre a Wizard of the Coast e a Beamdog.

Depois de remasterizar o dois Baldur’s Gate e permitir que novos jogadores tivessem contato com o clássico, o estúdio anunciou durante a PAX Prime que está trabalhando em uma nova versão do Icewind e a intenção é lançá-la para Windows, Mac, iOS e Android.

O site oficial diz que este Icewind Dale: Enhanced Edition trará uma interface redesenhada e todas as expansões, mas ao contrário do que vimos nas “remakes” anteriores, este não contará com conteúdo original, com a desenvolvedora preferindo investir na inclusão daquilo que foi cortado do jogo antes dele ser lançado e material presente nos outros RPGs. Veja só a lista do que ele trará:

  • Seis aventuras expandidas, incluindo conteúdo que foi cortado do jogo original
  • 60 novos itens
  • As expansões Heart of Winter e Trials of the Luremaster
  • 31 novas classes e combinações de kits do Baldur’s Gate II: Enhanced Edition, assim como a raça jogável meio-orc
  • 122 novas magias vindas do Baldur’s Gate: Enhanced Edition
  • Um novo “Modo História”, que permitirá que os jogadores experimentem toda a aventura sem as telas de Game Over

Embora nada tenha sido dito a respeito, é de se imaginar que o Icewind Dale 2 receba o mesmo tratamento um dia e já que a Beamdog partiu para outros jogos feitos com a engine Infinity, os fãs do Planescape: Torment torcem para que ela um dia também relance este que é apontado por muitos como um dos melhores RPGs já criados.

The post Icewind Dale ganhará versão remasterizada appeared first on Meio Bit.








Author: "Dori Prata" Tags: "Icewind Dale, Beamdog, Games, Computador..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Sunday, 31 Aug 2014 19:38

Laguna_New_3DS_browser_speed

Fez um ano que comprei o meu Nintendo 3DS XL e 9 meses que de facto estou com ele em mãos (tks Receita Federal), mas o fiz sabendo que logo a Nintendo lançaria uma atualização do console. Calma, o tio Laguna não quer dar uma de Mãe Dináh (RIP) ou algo do tipo logo agora até porque é meio tarde demais para isso. O caso é que para mim fez todo o sentido a Nintendo lançar uma versão atualizada do Nintendo 3DS este ano.

Confesso que cometi propositadamente o erro de ler os comentários de vários outros grandes portais sobre o New 3DS (XL) e neles percebi um ódio monstro contra uma suposta “atitude capitalista” da Nintendo em oferecer mais um novo console no mercado. Não deveriam e o tio Laguna gostaria de apresentar alguns bons motivos, especulando também sobre o hardware.


Nintendo 公式チャンネル — Newニンテンドー3DS Preview

Era mesmo previsível um New 3DS (ou 3DSi)

A Nintendo estabeleceu o ramo de videogames portáteis com o Game Boy em 1989, embora o mérito da gênese seja de minigames como o Game & Watch mas este não possui cartuchos intercambiáveis.

Tendo em vista que desde 1989 nenhum outro console portátil dedicado ameaçou a total liderança deste agora considerado nicho de mercado, podemos nos ater apenas ao histórico de consoles portáteis da Nintendo. Aí temos as seguintes gerações:

LINHA GAME BOY
1989 1996 1998
Game Boy Game Boy Pocket Game Boy Color

♮  

LINHA GAME BOY ADVANCE
2001 2003 2005
Game Boy Advance Game Boy Advance SP Game Boy Micro

♮  

LINHA NINTENDO DS
2004 2006 2008 2009
Nintendo DS Nintendo DS Lite Nintendo DSi Nintendo DSi XL

♮  

LINHA NINTENDO 3DS
2011 2012 2013 2014
Nintendo 3DS Nintendo 3DS XL Nintendo 2DS Nintendo New 3DS (XL)

♮  
Na linha Game Boy, tivemos como aparelho final o Game Boy Color, que nada mais era que um Game Boy Pocket mais gordinho com tela colorida e hardware levemente atualizado. Havia retrocompatibilidade, ou seja, os jogos anteriores do Game Boy rodavam no GBC mas apareceram alguns games híbridos, que rodavam melhor no GBC que no Game Boy. E também surgiram os jogos exclusivos, que só rodariam no Game Boy Color. Nesse sentido, o Game Boy Color foi muito bem servido de jogos exclusivos mas quando comparamos o número deles com a biblioteca dos jogos que rodavam no Game Boy (Pocket) foram poucos.

Com exceção do GB Micro, a linha Game Boy Advance era retrocompatível, ou seja, você poderia jogar nos novos aparelhos todos os games que rodavam no Game Boy Color. O chato era que os cartuchos de GB(C) eram meio grandes em relação aos exclusivos da linha Game Boy Advance, mas rodavam no GBA (SP) de boa. A única diferença entre o GBA e o GBA SP, além do formato, era que alguns raros jogos first-party percebiam quando o GBA SP era fechado e também alteravam a luminosidade de sua tela pelo software. Só que eram raros mesmo.

Na linha Advance, o Game Boy Micro era um hardware que em teoria era de baixo custo: não havia mais o processador Z80 do GB(C), o Micro apenas tinha em seu hardware o ARM7 utilizado pelos games exclusivos do GBA. O grande problema do GB Micro foi ser vendido a um preço elevado, no nível do GBA SP quando lançado. Erro da Nintendo.

De longe, a mais bem sucedida linha de consoles portáteis dedicados da Nintendo foi a de duas telas: o Nintendo DS e o Nintendo DS Lite só diferiam no formato, mas o hardware era exatamente o mesmo. Eram retrocompatíveis, ou seja, os cartuchos dos jogos da linha Game Boy Advance rodariam no DS (Lite), embora no caso do DS Lite o cartucho do GBA ficava que nem um cartucho de GB(C) no GBA.

O problema foi quando a Nintendo eliminou a entrada de cartuchos do GBA para atualizar a linha DS com o hardware final, o DSi: embora o DSi até pudesse rodar os jogos de GBA pela presença do co-processador ARM7, a Nintendo não ofereceu opção de comprar jogo do GBA na DSi Ware, loja virtual que em tese justificou a leve atualização de hardware (a CPU principal, ARM9, rodaria no dobro da freqüência). O Nintendo DSi (XL) teve jogos exclusivos que não rodariam no DS (Lite) mas somente eram os da DSi Ware: nenhum jogo físico compatível com o hardware melhorado do DSi deixava de rodar num DS (Lite).

Resumindo a situação toda: pelo menos duas das três primeiras linhas de portáteis da Nintendo tiveram como hardware final um aparelho com leve melhoria em relação aos demais aparelhos e seus próprios jogos exclusivos, embora raros no caso do GBA SP e DSi.

Se tiver Mario Kart exclusivo no New 3DS, seria obrigatório pra mim.

Aí chegamos à previsibilidade da linha 3DS, o principal ponto que o tio Laguna quer discutir neste tópico.

Percebendo o quanto os smartphones e tablets estão diminuindo o público do nicho dos portáteis dedicados a jogos, a cada ano da linha 3DS a Nintendo introduzia alguma novidade de hardware no ocidente. Com a exceção do Nintendo 2DS, todos os hardwares portáteis da empresa até hoje foram lançados para também agradar ao seu principal mercado, o japonês.

Faltava para o Nintendo 3DS (XL) o hardware final da linha 3DS. Quando o Nintendo 2DS chegou, nada mais era do que o GB Micro feito de forma correta: retirando recursos, mas para baixar o preço de forma “natural” e oferecê-lo como modelo de entrada da plataforma. Dificilmente veremos o repeteco daquele desconto no preço global do 3DS lá em 2011, espero.

Enfim, com o hardware final da linha 3DS, o New 3DS (XL), a Nintendo queria mesmo era renovar a imagem da empresa junto ao público japonês, já saturado com o 3DS e com a remota ameaça do PS Vita. Existiria uma estratégia melhor que introduzir um hardware final logo agora e com possibilidade de jogos exclusivos?

Com o New 3DS (XL) a Nintendo mata um ou outro coelho: se livra daquele acessório horroroso, o Circle Pad, e ainda dá a opção de os desenvolvedores terem um melhor hardware disponível enquanto não introduz a nova linha de consoles portáteis. E também poderia ajudar a empresa a conseguir mais um ou outro ano de lucro, por que não?

O quão melhor seria o New 3DS (XL) no hardware?

Aspecto do SoC Nintendo 3DS (XL) Nintendo New 3DS (XL)
Processador principal ARM11 dual-core a 266 MHz ARM11 dual-core a 500 MHz
Co-processador ARM9 a 133 MHz
Memória principal (RAM) 128 MB 256 MB
Processador gráfico DMP PICA 200 Lite (dual-core) a 133 MHz DMP PICA 200 Lite (dual-core) a 166 MHz
Memória dedicada de vídeo (VRAM) 6 MB 10 MB
Processo de fabricação do SoC 45 nm 32 nm

♮  
Como a autonomia dos novos aparelhos é pouco superior aos antigos e houve melhora no desempenho, o tio Laguna especula que o processo de fabricação não seja a litografia de transístores a 45 nm e sim 32 nm (ou 40 nm, mas quero ser otimista). A Nintendo preza pelo baixo preço dos componentes, então nada de ARM Cortex (ARMv7) no processador principal, continuaria o ARM11 (ARMv6) mesmo.

Segundo os rumores dos desenvolvedores de homebrew, teríamos o dobro de memória RAM, CPU mais veloz e algum acréscimo na VRAM. Apesar das melhorias no ângulo de visão do efeito 3D na tela principal, as resoluções das telas permaneceriam as mesmas, somente foram introduzidos no New 3DS os botões extras do Circle Pad e o NFC.

E o próximo console portátil, sai quando?

SUCESSÃO DOS PORTÁTEIS NINTENDO
1998 2001 2004 2008 2011 2014
Game Boy Color Game Boy Advance Nintendo DS Nintendo DSi Nintendo 3DS Nintendo New 3DS

♮  
Seguindo o raciocínio da tabela apresentada acima, o tio Laguna pode especular que a nova linha de consoles portáteis da Nintendo seria introduzida em 2017. Detalhe que o Wii U completará cinco anos em 2017.

Será que o novo console da Nintendo e o novo portátil seriam um mesmo aparelho?

Seja como for, o tio Laguna não vai comprar o New 3DS mesmo desejando muito o Xenoblade Chronicles (uma cópia no Wii é raríssima e cara): se considerarmos o histórico da Nintendo em portáteis, teremos retrocompatibilidade, então eu compraria o game em mídia física para jogá-lo apenas no console sucessor. A não ser que a Nintendo faça a maldade de lançar o remake de The Legend of Zelda: Majora’s Mask de forma exclusiva no New 3DS, aí eu me veria obrigado a comprar tal aparelho.

The post Especificações técnicas do New 3DS: sucessor seria lançado em 2017 appeared first on Meio Bit.








Author: "Emanuel Laguna" Tags: "Nintendo DS, New 3DS XL, Especificaçõe..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Saturday, 30 Aug 2014 13:30

babylon51

Eu sei, eu sei. Vai ser um inferno o foguete ligar no inverno, consome mais, não sobe ladeira direito (o que é péssimo para foguetes) e o Governo vai misturar 50% de gasolina anyway, mas piadas à parte, é um avanço. Não pelo uso do álcool em si, o exemplo mais conhecido de foguetes usando a mesma combinação, álcool/oxigênio líquido é o míssil V2, obra de Werner Von Braun.

A questão também não é que estamos em 2014 inventando tecnologia de 1943, mas não se salta etapas em tecnologia, a não ser que você queira ficar dependente para sempre de fornecedores externos. Motores de combustível líquido são essenciais para qualquer atividade espacial de gente grande. Fora isso seu foguete é no máximo um rojão gigante, pois não há como controlar a potência, desligar ou religar o foguete de combustível sólido.

O VS-30 é o foguetinho que será lançado hoje, da Base de Alcântara. Foi desenvolvido pela Orbital Engenharia em parceria com o Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) da Aeronáutica.

O motor da Orbital Engenharia desenvolve 15 kN (quilonewtons) de empuxo, e é bem ousado, por usar oxigênio líquido. Combustível criogênico não é algo nada simples de lidar.

Se tudo der certo o vôo de testes terá 2 minutos de duração, será monitorado via telemetria e os restos do foguete aparecerão mais tarde como OVNIs, no G1.

Fonte: Agência Brasil, via dica do tuinto do Sérgio.

P.S.: não, álcool não é uma opção boa e verde. Muito provavelmente só está sendo usado por ser barato. Em propulsão de foguetes tudo se resume à eficiência energética, e como todo dono de carro sabe, álcool é uma droga. Etanol tem densidade energética de 19 MJ/litro. A boa e velha gasolina, 34,2 MJ/L. Hidrogênio líquido, 141,86 MJ/L. Por isso mesmo sendo um inferno os foguetes grandes acabam usando hidrogênio e oxigênio.

Para coisas pequenas, sim o álcool atende. Colocar satélites em órbita não, mas testar equipamentos em microgravidade e aterrorizar Londres, está valendo.

The post Brasil vai testar foguete movido a álcool appeared first on Meio Bit.








Author: "Carlos Cardoso" Tags: "Babylon 51, Energia, sem datilógrafo, H..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Saturday, 30 Aug 2014 12:16
Russian President Putin holds a communication session with the crew of the International Space Station (ISS) on Cosmonautics Day during his visit to the Amursk Region

Não, não foi ele.

Wargames é um dos clássicos filmes geek nos Anos 80. Foi uma visão totalmente original da Guerra Fria e da Ameaça Nuclear. Nele um garoto usa a velha técnica de wardialing para achar os números de modem de uma empresa de jogos, mas sem-querer acaba encontrando uma porta de entrada para o WOPR, um supercomputador do NORAD que controla todo o arsenal nuclear dos EUA.

O mais legal do filme é que ele não usa OVERRIDE e outros comandos mágicos. Para descobrir a senha vai pra bibliotecas, pesquisa e tenta muito.

Obviamente ele coloca o mundo à beira de uma guerra nuclear, é preso pelos militares, e fica com a mocinha.

Agora a Vida Imita a Arte, mas com orçamento de filme brasileiro. Na Inglaterra um sujeito chamado Henry Smith recebeu a visita de um Agente. Não o Smith, mas da imobiliária, para uma inspeção rotineira. O agente viu vários quadros brancos com mapas e descrições de ataques nucleares, e a legenda “Guerra Global Termonuclear”. Dada a situação atual do mundo o tal agente ficou assustado. 

Pacientemente Henry explicou que ele era desenvolvedor, estava criando um jogo multiplayer, e aquilo era parte dos esboços.

366828db-45dd-4ff2-8536-209c78a673ea-460x276

O agente não ficou satisfeito. Foi embora e mais tarde avisou por e-mail que a polícia havia sido informada de tudo.

Henry ficou apavorado. Voltou correndo para casa, achando que encontraria a SWAT e tudo revirado. Agora ele não sabe o que fazer. A polícia não costuma informar sobre investigações em andamento, ainda mais se o sujeito é o alvo. A única esperança de Henry é que, ao contrário do retardado da agente, os investigadores de polícia tenham QI acima da temperatura ambiente em Plutão e percebam que dificilmente alguém capaz de hackear o arsenal nuclear dos EUA ou da Rússia faria isso com diagramas como o mostrado acima.

Alguns disseram que tudo não passou de estratégia de divulgação, mas o jogo não existe, tudo que Henry fez até agora foi um gráfico básico no Google Maps. Não faz sentido divulgar algo tão preliminar.

É o caso clássico de histeria associada a pouco ou nenhum conhecimento. Lembrou um causo ótimo quando, umas semanas atrás um engraçadinho postou uma foto de Steven Spielberg na frente de um Triceratops. O texto, indignado condenava a caça esportiva e o “sujeito” por ter matado o animal por pura diversão. CLARO, centenas de retardados despejaram sua indignação no Facebook, exigindo justiça.

spielberg-dinosaur-killer-1

Acha absurdo? E que tal a história de Alex Stone, um adolescente de 16 anos que durante uma aula de redação resolveu escrever uma história contando que comprou uma arma e matou o dinossauro de estimação do vizinho. Arma, colégio? Foi imediatamente denunciado pelo professor, suspenso por uma semana e a polícia foi notificada. Cobraram explicações, ele se irritou, explicou que era uma brincadeira, e segundo os canas, ficou descontrolado e acabou preso por desacato.

Isso mesmo. Escrever que matou um dinossauro foi suficiente para colocar em cana um garoto.

Parabéns a todos os envolvidos. Por isso não podemos ter coisas legais.

Fonte: GAS e News AU.

The post Polícia chamada para deter sujeito que planejava Guerra Global Termonuclear appeared first on Meio Bit.








Author: "Carlos Cardoso" Tags: "pewpewpew, Web 2.0, WOPR, Internet, warg..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Friday, 29 Aug 2014 20:20

lumia930

Em um dia repleto de boas notícias (isso se você não morar no Oriente médio, em Ferguson, não comer morcegoburger na Nigéria e não for a torcedora racista do Grêmio, claro) agora é a Microsoft que desencruou na decisão histórica da Nokia de manter o Brasil em Preto e Branco.

Primeiro foram os Lumias 530, com as capas traseiras coloridas. Agora a confirmação: o Lumia 930 virá para o Brasil em sua versão laranja! :cool:

Eu pessoalmente prefiro o branco, acho mais elegante, mas muita gente gosta de celulares coloridos. Isso é fenômeno mundial, como só no Brasil tínhamos que nos sujeitar a um visual digno de filmes mudos? Claro, ninguém quer o Lumia Romero Britto, mas uma corzinha não faz mal a ninguém.

Pois bem, ele virá. Em breve teremos o 930 laranja, e quem sabe no futuro, o verde. 

O Lumia 930, caso você não se recorde, é aquele avião que tem entre outros recursos:

  • Câmera de 20 Mp, 4992 × 3744 pixels, Carl Zeiss Pureview;
  • Tela Full HD 1080 × 1920 pixels, 5 polegadas, 441 ppi;
  • 4 microfones, gravação surround;
  • Processador Qualcomm MSM8974 Snapdragon 800 quadcore a 2,2 GHz;
  • Bateria de 2.420 mAh, 432 h de stand-by;
  • Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac, dual-band, DLNA, Wi-Fi hotspot;
  • 32 GB de armazenamento, 2 GB de RAM

 
De resto, ficadika, pra imprimir e colar na porta do marketeiro que só deixava venderem celulares pretos e brancos:

fuckcolor

The post Orange is the New Lumia 930 appeared first on Meio Bit.








Author: "Carlos Cardoso" Tags: "romero britto, Hardware, Mercado, Micros..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Friday, 29 Aug 2014 19:54

Laguna_Chrome_Logo1

Antigamente, quando os notebooks, smartphones e tablets não eram tão populares, havia o costume de dividirmos o PC desktop com familiares e amigos mais próximos para acessarmos a internet. Quando chegava a nossa vez de usá-lo, não era raro o navegador estar aberto logado em alguma página. Era esse tipo de descuido que fazia com que alguns perfis no Orkut fossem “hackeados”.

Bom, se você ainda precisa dividir o computador com mais alguém, o novo beta do Chrome 38 terá o Guest Mode.

Laguna_Chrome_Guest_Mode

Mudando perfis de uso no navegador (Crédito: Google Chrome Blog)

Ao clicar no canto superior direito da janela do Chrome, você será capaz de adicionar o seu perfil pessoal, tendo suas próprias extensões, favoritos e tema, mantendo-os separado de outra pessoa que também utilize seu PC. Tal perfil também continuará a permitir que você mude de aparelho continuando de onde parou em outro dispositivo: todas as suas abas, histórico de navegação e favoritos serão mantidos em sincronia pelo navegador do Google.

Só que estamos a falar do Chrome 38 beta, pois a última versão estável do Chrome foi a 37, lançada anteontem (27/08), que trouxe aos PCs o primeiro navegador do Google otimizado para processadores 64 bits. Funciona assim: temos o Chrome 37 normal, que você atualiza de uma versão anterior de 32 bits e o Chrome 37 versão 64 bits, o qual seguirá com uma linha de desenvolvimento diferente mas mantendo os mesmos recursos.

A rigor, a versão 64 bits do Chrome não difere em nada do tradicional Chrome de 32 bits. Tanto que ao instalar o Chrome 64 bits num PC com uma versão anterior do browser, 32 bits, você vai acessar o mesmo atalho, como numa atualização normal. Não há nenhuma mudança visível na interface ou qualquer outro acréscimo, seja de funcionalidades, seja sua velocidade (ao menos na máquina do tio Laguna aqui).

Sim, eu digitei chrome://chrome/.

Segundo o Google as vantagens do navegador de 64 bits seriam o melhor desempenho, estabilidade e segurança (blá blá blá). O tio Laguna só notou que o navegador não mais trava em Tumblrs e outros blogs de aborrescentes com a desagradável barra de rolagem infinita.

Por enquanto, a versão final do Chrome 64 bits somente está disponível para PCs: os usuários de Mac OS X terão de esperar mais um pouco, pois somente depois de disponibilizar a versão estável para os PCs foi que o Google disponibilizou a primeira build beta oficial do Chrome 64 bits para Mac. Antes disso, quem quisesse usar um Chrome 64 bits no OS X teria que usar o Canary, uma build bem alfa do Chrome 64 bits cheia de avisos.

Enfim, se você tem um PC e quiser experimentar a versão 64 bits do Chrome 37, clique no link abaixo:

The post Google lança Chrome 64 bits para Mac (e PC) com “modo convidado” appeared first on Meio Bit.








Author: "Emanuel Laguna" Tags: "Apple e Mac, canary, os x, 64 bits, Chro..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Friday, 29 Aug 2014 19:00

that-s-a-knife

Ah, a Austrália, aquela terra que adora pegar no pé das empresas e estúdios de games. É notório o fato de que a justiça do país não gosta de games mais violentos ou polêmicos do que um PG-13 pode permitir, mesmo tendo “afrouxado” as regras e permitido o lançamento de games com classificação indicativa voltada a adultos. Na prática, games como South Park: The Stick of Truth são tesourados, enquanto outros como Saints Row IV e State of Decay são de fato banidos.

A vítima do país agora é a Valve, mas não como você pensa: na verdade, a empresa está sendo processada por considerar que sua política que veta reembolsos no Steam fere a Lei de Defesa ao Consumidor local.

A Comissão de Consumo e Competição da Austrália (vulgo ACCC) abriu um processo na corte federal, alegando que como a Valve não possui representação física no país, ela achou uma brecha na lei que lhe desobriga a cumprir uma determinação na lei local, que é garantir reembolsos aos consumidores quando solicitado, caso o produto possua um problema ou qualquer outra particularidade que o impeça de ser apreciado. Segundo um release da comissão, “a lei se aplica a quaisquer empresas que mantenham negócios na Austrália”, independente dela contar com um escritório no país ou não.

A lei entende que como a Valve se recusa a realizar reembolsos sob qualquer circunstância no país, ela está de fato infringindo a lei e deve ser responsabilizada por isso. A Valve declarou em nota que “está se esforçando para cooperar com a justiça australiana, bem como continuar fornecendo um serviço de qualidade através do Steam para nossos consumidores em todo o mundo, inclusive na Austrália”.

A primeira audiência será no dia 7 de outubro. Considerando que os oficiais australianos não gostam muito de videogames, essa história pode acabar mal para a Valve.

Fonte: GI.

The post Política contra reembolsos leva Steam aos tribunais da Austrália appeared first on Meio Bit.








Author: "Ronaldo Gogoni" Tags: "Indústria, justiça, Steam, Austrália,..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Friday, 29 Aug 2014 17:23

1308x736 (1)

Durante o 3DS Direct, que aconteceu na manhã de hoje (já de noite no Japão), a Nintendo apresentou seus novos consoles portáteis.

Chamados “New 3DS” e “New 3DS XL”, os novos modelos possuem algumas diferenças estéticas. Questão de milímetros em suas dimensões, mas com reposicionamento e adição de botões, novas linhas em seu design, câmera e analógicos.

Eles trazem mudanças significativas tanto em seu software, quanto em seu hardware.

Beleza Interior

Alright, alright, alright… Esses novos brinquedinhos virão equipados com um novo processador, mais rápido e que (choremos) será necessário para rodar alguns dos novos jogos exclusivos da plataforma. Sim, isso inclui o Xenoblade Chronicles.

E aí eu pergunto: o 2DS, que é uma das apostas da empresa para o Natal, vai ganhar este destaque todo mesmo sendo um produto defasado?

R: brinquedo eletrônico de baixo custo. Super Smash Bros. para Nintendo 3DS, Pokémon Omega Ruby e Pokémon Alpha Sapphire, que nem foram lançados ainda, vão funcionar perfeitamente no patinho feio, então ainda há potencial.

Voltando… Com esta nova CPU e mais memória RAM disponível, outros aplicativos serão carregados mais rapidamente, como o eShop e o Miiverse.

O novo navegador conta com a habilidade de rodar HTML 5, mas como tablets e smartphones possuem uma usabilidade muito melhor, acredito que pouca gente vá de fato fazer uso disso no dia a dia.

Outra novidade interessante é que os novos portáteis terão slot para cartões micro-SD, entrada frontal para os cartuchos, e leitor de NFC. Sim, você vai poder colocar um bonequinho do Link ou do Mario na tela e interagir com o jogo.

2639856-3dssd

Aliás, essa alteração vem a calhar, uma vez que a Nintendo está prestes a lançar os Amiibos.

20140610nintendo-amiibos

Sua tela — e a programação gráfica dela — foi alterada para prover uma experiência 3D um pouco melhor. Se você já jogou algum jogo com esse recurso do 3DS ativado, sabe que a extensão de movimento lateral do ponto de visão é muito reduzida. Qualquer coisa fora disso já dá aquela embaçada na imagem.

A Nintendo sabia disso, e os New 3DS serão equipados com um 3D diferente, com uma extensão maior de campo de visão.

1308x736 (7)

632x351

Um novo recurso vai usar a câmera frontal para identificar a iluminação do local onde o jogador está para ajustar o brilho da tela automaticamente.

Ê, lá em casa…

Falando agora da estética e dos fatores externos do aparelho, temos novos botões!

Além das ligeiras mudanças de tamanho e de peso, estes consoles terão novos triggers traseiros (ZR e ZL, é nóis), botões tradicionais X-A-B-Y agora coloridos, o que me lembrou muito o gamepad do SNES, mas também a incorporação de um analógico inspirado no controle do GameCube (e claramente empurrado pelas vendas dos 3DS Circle Pads Pro, oficiais ou paralelos).

1308x736 (6)

1308x736 (5)

1308x736 (4)

1308x736 (2)

1308x736

631x348

631x352

A trinca Select | Home | Start foi desfeita e estes botões foram realocados. O home foi deixado sozinho, largado e abandonado no centro do aparelho. Alguém aí disse iPhone?

Já o Start e o Select foram parar onde o nosso dedão alcança. Nice move, big N.

1308x736 (3)

Quanto as cores disponíveis, o que foi dito até agora é o seguinte: o New 3DS XL estará disponível nas cores Azul Metálico e Preto Metálico. Já o New 3DS vem em preto e branco, mas com maior destaque para os botões coloridos.

Ainda assim, a empresa garantiu que vai oferecer face plates, capas e cases oficiais, com — pelo menos, mas não restrito aos — temas do Mario, Yoshi, Peach e Animal Crossing.

2639850-covers

2639859-covers2

Falando em customização, uma atualização de firmware do 3DS será lançada em outubro e vai permitir colocar temas no sistema do aparelho. A Nintendo mostrou opções que inclui o design clássico do Mario e também de The Legend of Zelda: A Link Between Worlds.

Números, Matheus! Eu quero valores e datas!

Calma cara! CALMA!! Sissigura!

Os novos portáteis serão lançados no Japão no dia 11 de outubro. Há planos para lançamento na Europa, mas só para 2015! Nada foi dito a respeito de EUA e América do Sul. “E no Brasil??” — Dou-lhe um tapa, moleque!

O New 3DS vai ser vendido por ¥ 16.000 (R$ 345 com câmbio de hoje). Já o New 3DS XL vai custar ¥ 18.800 (R$ 405). Qual o valor que eles terão nas lojas brasileiras, aí vareia.

Do ponto de vista de alguém que acabou de comprar um 3DS XL (edição do Zelda), escrever essa notícia não é lá muito agradável. Mas é assim que essa indústria progride. Que estes novos portáteis sejam bem vindos.

Se você quiser assistir o 3DS Direct na íntegra, taí:


Nintendo 3DS Direct 2014.8.29

Fontes: Gamespot e Eurogamer.

Leia também:

The post Nintendo anuncia New 3DS e New 3DS XL com novos processadores e mais botões appeared first on Meio Bit.








Author: "Matheus Gonçalves" Tags: "nfc, New 3DS XL, Customização, lançam..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Friday, 29 Aug 2014 17:10

Essa foi dica de um leitor e realmente a matéria é muito bacana e mostra o que os fotógrafos mais experientes já sabem. Equipamento não é tudo. E junto a isso um outro pensamento. Hoje, a maioria das câmeras fotográficas em comercialização são capazes de fazer ótimas imagens, mesmo no modo automático.

Foi publicado no Petapixel um texto do fotógrafo Brian Spencer onde ele se propôs um desafio muito simples. Depois de fazer uma foto de um colibri com sua Nikon D810 com a lente Nikkor 85mm f/1,8; ele foi indagado por um leitor de sua página no facebook o quanto ele precisaria gastar em equipamento para fazer uma foto com aquela qualidade. Uma indagação interessante e que poucos se colocam a pensar. Afinal de contas é possível fazer imagens soberbas com qualquer câmera, mas até onde a utilização de equipamentos avançados e lentes caríssimas vão influenciar nisso? Spencer decidiu montar um kit básico de câmera e fazer comparações com as fotos feitas com seu equipamento principal.

E já que o objetivo era comparar o barato com o caro, nada melhor do que procurar equipamentos usados no site e-bay. O kit montado pelo fotógrafo, para entrar em comparação com seu equipamento principal foi:

- Nikon D40 (incluído gratuitamente cartão de memória de 2 giga): US$ 109

- Lente Nikkor 18-55 US$ 59

- Lente usada Tamron 90 milímetros Macro: US$ 209

- Flash usado YONGNUO YN-560 US$ 59

- Tripé usado: US$ 10

- Rádio flash Cowboy Estúdio Triggers: US$ 18

- Controle remoto usado Nikon: US$ 2,30

- Tripé  e sombrinha  usados: US$ 30,00

- Photoshop: US$ 10,00 / mês

Ou seja, um total de US$ 506,30 por um kit completo, sendo que muitos equipamentos são usados, cujas fotos serão comparadas com um kit de equipamentos que custou mais de US$ 7 mil. O interessante é que isso não se trata de uma comparação pau a pau para determinar qualidade e sim se é possível fazer boas fotos com uma câmera mais modesta. Spencer comparou as câmeras nos tipos de fotografia que ele mais costuma fazer e tentou utilizar configurações e distâncias focais parecidas. Foram executadas fotos com longa exposição, fotografia macro, retratos e fotografia de natureza. Você pode ver todas as comparações no texto original, mas gostaria de mostrar apenas duas aqui.

comparativo_nikon

A foto da esquerda foi feita com a Nikon D810 e a da direita com a Nikon D40. Ambas setadas em modo de prioridade de abertura em f/10. O fotógrafo aponta que com essa visualização as duas parecem praticamente iguais, mas um zoom com a foto da D810 apresenta muito mais detalhes por conta da diferença de resolução. O detalhe é que você gastaria US$ 3.789,00 para fazer a foto da esquerda e apenas US$ 338,00 para fazer a foto da direita.

comparativo_nikon2

Esse foi um dos retratos produzidos para o comparativo. Aqui sim notamos algumas diferenças, principalmente por conta da qualidade das lentes e uma leve diferença na cor das fotos, mesmo que o fotógrafo tenha feito o pós-processamento para acertar as cores. Porém, mais uma vez, não existem diferenças gritantes. As duas fotos poderiam ser entregues a um cliente que pagou pela confecção das imagens. A foto da esquerda foi feita com a Nikon D40 com a lente Tamron 90mm f/2,8. Custo total da imagem: US$ 328,00. A da direita foi feita com a Nikon D810 com a lente Nikkor 85mm f/1,8. Custo da imagem: US$ 3.860,00.

Ou seja, a conclusão é bem obvia. Não importa o equipamento, e sim o que você faz com ele. Recentemente passei por algo que pode ser comparado com a situação deste texto. A minha lente principal, uma 28mm f/1,8, sofreu um acidente e foi para a manutenção. A única lente que tinha com distância focal parecida era a lente do kit, uma 18-55mm. Tive que me virar com ela e voltar a fotografar com uma pequena abertura de diafragma. Embora não goste de admitir, a lente mais cara é um conforto que pode ser substituído por uma lente mais simples com um pouco mais de trabalho e criatividade. Não percam de ler o artigo inteiro de Brian Spencer. Vale a pena.

The post Quanto preciso gastar para fazer uma boa foto? appeared first on Meio Bit.








Author: "Gilson Lorenti" Tags: "Equipamentos, câmeras, Fotografia, Áud..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Friday, 29 Aug 2014 17:01

sony-digital-paper

Vocês se lembram quando no ano passado a Sony demonstrou no Japão o Digital Paper, uma espécie de tablet ultrafino de 13 polegadas que permitia edição de PDFs de forma fácil, principalmente porque ele reconhece a escrita do usuário da forma mais fluída possível? Não demorou muito tempo a empresa japonesa o lançou oficialmente, embora tenha fixado um valor de absurdos US$ 1.100,00 por ele.

Pois bem: como quem não quer nada a Sony começou a vendê-lo online, embora tenha o voltado espertamente para profissionais.

Sob meu ponto de vista, se relevarmos o custo escalafobético do tablet com tela e-ink, o Digital Paper é um produto interessante porque ele reconhece a escrita de modo extremamente natural: é possível apoiar seu braço sobre sua tela e escrever, e o gadget só reconhecerá a caneta. Para acadêmicos ele seria extremamente útil, pois eliminaria a necessidade de carregar inúmeras apostilas, cadernos e canetas: um Digital Paper e arquivos .PDF serão tudo o que você vai precisar, e o formato A4 permite que ele seja confortável e ideal para estudos e trabalho. Não é um tablet, é uma ferramenta dedicada que pode salvar a barra de muita gente. Fazer anotações em livros, escrever notas, copiar a matéria do professor, escrever partituras… tudo de forma simples e graças à tela e-ink, com extrema naturalidade.

Claro, há limitações. Embora a Sony finalmente tenha aberto mão de seus malditos formatos proprietários, o Digital Paper só reconhece PDF — portanto para usá-lo como um e-reader, será preciso converter seus livros (desde que eles não possuam DRM). Outra: dado o preço elevado o Digital Paper foi direcionado a profissionais de direito, educação e entretenimento, como o hotsite deixa claro. Isso posto, a Sony não está oferecendo suporte ao consumidor final. E por fim, as entregas são restritas aos Estados Unidos.

Portanto, se você acha que ainda assim vale a pena gastar US$ 1.100,00 num e-reader profissional, vai fundo. É só seguir este link e se informar onde e como adquirir um.

Fonte: Sony.

The post Sony Digital Paper já está disponível nos Estados Unidos appeared first on Meio Bit.








Author: "Ronaldo Gogoni" Tags: "Comunicação Digital, Sony, Hardware, D..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Friday, 29 Aug 2014 16:00

a-city-sleeps

A Harmonix pode ter chegado aos termos com a série Rockband, mas é fato que ela não pretende ficar tão longe assim dos games musicais. A empresa já declarou que aguarda o momento certo de voltar a explorar esse filão, hoje representado unicamente pela franquia Rocksmith da Ubisoft. Enquanto esse momento não chega, ela ensaia outros gêneros sem tirar o pé do estúdio de gravação como mostra A City Sleeps, um shoot’em up com elementos de ritmo que será lançado para PC e Mac via Steam.

Em um game que lembra muito os lindos títulos da variante bullet hell que a Treasure costuma entregar (ele lembra bastante Gradius V), A City Sleeps é um shmup horizontal que coloca você na pele de Poe, uma jovem membro de um clã de exorcistas de sonhos, indivíduos capazes de entrar nas mentes sonolentas das pessoas e eliminar seus demônios interiores. Quando os cidadãos de sua cidade são afligidos por um sono eterno, somente ela poderá salvá-los de um pesadelo sem fim.

Como se trata de um título da Harmonix, elementos rítmicos estarão presentes. Ao que tudo indica o jogador poderá realizar ações de acordo com a música, que é construída de acordo com as ações do jogador e dos inimigos. Eu consigo pensar nisso como uma jogabilidade orgânica, em que todos os elementos se mesclam de forma única. O trailer apresentado é bem colorido e cheio de vida, mostrando que A City Sleeps já parece promissor.

O game será lançado no Steam em outubro e será compatível com Windows e Mac OS X. Já é possível realizar a pré-compra: o game está com um desconto de 15% e saindo por R$ 23,79, bem como a edição especial que dá direito à trilha sonora, por R$ 28,89.

Fonte: S.

The post A City Sleeps, o shoot’em up rítmico da Harmonix appeared first on Meio Bit.








Author: "Ronaldo Gogoni" Tags: "windows, mac, Harmonix, Shoot 'em up, A ..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Next page
» You can also retrieve older items : Read
» © All content and copyrights belong to their respective authors.«
» © FeedShow - Online RSS Feeds Reader