• Shortcuts : 'n' next unread feed - 'p' previous unread feed • Styles : 1 2
aA :  -   + pdf Infos Unsubscribe

» Publishers, Monetize your RSS feeds with FeedShow:  More infos  (Show/Hide Ads)


Date: Wednesday, 20 Aug 2014 22:45

[NOTA DE IMPRENSA]

A nove dias e uma mão cheia de horas do começo do TRC ZigurFest, já não conseguimos esconder a excitação. A quarta edição do vosso festival promete ser bonita! Pelos palcos do Teatro Ribeiro Conceição e da rua da Olaria vão passar um total redondinho de 18 bandas em 48 horas, numa corrida sem pressas, com tempo para sonhar, viajar, dançar e curtir.

29 de agosto

     

30 de agosto

Todos à Rua (16h00 – 19h30)

 

 

Todos à Rua (16h00 – 19h30

Sax on The Road

Gonçalo

10 000 Russos

Ratere

Hitchpop

Go Suck a Fuck + Yong Yong

TRC (21h00 – 00h00)

 

 

TRC (21h00 – 00h00)

Tales and Melodies

Duquesa

Equations

Blac Koyote

You Can’t Win Charlie Brown

Norberto Lobo + João Lobo

Todos à Rua (00h00 – 03h00)

 

 

Todos à Rua (00h00 – 03h00)

Serrabulho

O Manipulador

Blaze & the Stars

C(u)ore & Colours

Twisted Freak

Niagara

Até à chegada do próximo fim-de-semana, aproveitem para comprar os bilhetes que já estão à venda nas bilheteiras do Teatro Ribeiro Conceição (€ 3,00 o passe diário, € 5,00 o passe geral) e para se inscreverem no nosso Flea Market. As inscrições, para lojas e participantes individuais, já estão abertas e podem (devem!) ser feitas para o email fleamarket@zigurartists.com. Quem desejar obter credencial de imprensa, pode requisitá-la através do mail antoniomsilva@zigurartists.com.
Vão estando atentos aos nossos Facebook e site oficial para ficar a par de todas as novidades!

[SÍTIO | FACEBOOK]

trc poster final

Author: "Rui Dinis" Tags: "eventos, 10 000 Russos, Blac Koyote, Bla..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Wednesday, 20 Aug 2014 22:32

lucky_lupe

Chama-se “Delay Song” e é o tema de avanço para o registo de estreia dos Lucky Lupe, um disco a editar brevemente.  Gravado e misturado por Bruno Plattier no Nirvana estúdios em Lisboa.

Author: "Rui Dinis" Tags: "brevíssimas, Lucky Lupe"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Wednesday, 20 Aug 2014 22:24

bordatu

Os Charanga venceram um dos prémios Megafone/SPA 2014 – categoria música.

O prémio foi atribuído por um júri composto por Luís Varatojo (músico), Pedro Gonçalves (crítico de música), Ricardo Alexandre (jornalista), Jorge Cruz (músico), Fausto da Silva (radialista), Raquel Bulha (radialista) e Luís Ferreira (director do festival Bons Sons). Os prémios Megafone/SPA são organizados pela associação Megafone 5 com o objectivo de celebrar, homenagear e difundir o trabalho e as ideias de João Aguardela.

Nó e OMIRI estavam igualmente na corrida. [OUVIR]

Author: "Rui Dinis" Tags: "breves, Charanga, Megafone, Nó, Omiri"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Wednesday, 20 Aug 2014 22:14

bramble_radio

É o vídeo para o novo tema de Mike Bramble, “Radio” de seu título; com produção de Bruno Carnide[OUVIR]

Author: "Rui Dinis" Tags: "videoclip, Mike Bramble"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Wednesday, 20 Aug 2014 21:24

PAULO JORGE – “ECONTRO”

Ano de Formação: 2013.

Localidade: Loures.

Composição da Banda: 
Solo (voz, viola, harmónicas e bombo) ou em trio (viola solo, coros, percussão e sonoridades).

Género e/ou Estilo:  Intimista mas com intenção na interpretação das palavras.

Discografia
Prevista para 2015.

Caracterização:
Paulo Jorge;
Cantautor & intérprete;
Originais & versus de canções e palavras.

Outras informações:
Dia 10 de Outubro – Quinta do Conventinho – Loures

[FACEBOOK | YOU TUBE]

paulojorge

–>O PALCO TAMBÉM PODE SER TEU. CLICA AQUI.

Author: "Rui Dinis" Tags: "O Palco é Teu, Paulo Jorge"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Tuesday, 19 Aug 2014 22:47

00_azureflux_-_mean_machine

Há mais novidades da Enough Records:

Estreia nas edições do projecto Português Azureflux, com um EP de sonoridades 8bits compostas com gameboy. Grafismo por iloveui.Nota de Imprensa

Tudo livre e gratuito, como sempre. [DOWNLOAD LEGAL]

Author: "Rui Dinis" Tags: "netlabels, Azureflux"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Tuesday, 19 Aug 2014 22:36

brinde

O single já era conhecido, chegou agora a hora de conhecer o videoclip. O tema chama-se “Brinde” e é o primeiro avanço para o novo álbum dos Mundo Secreto“Neons&Lasers” – edição prevista para depois do Verão. [OUVIR]

Author: "Rui Dinis" Tags: "videoclip, Mundo Secreto"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Tuesday, 19 Aug 2014 22:34

twoleavesleft

Depois de algum tempo de paragem,  com a criação de um projecto paralelo pelo meio, Moving Trees, The Joy of Nature está de regresso aos discos.

“The Joy of Nature acabou de lançar “Two Laves Left”, um mini-álbum, editado numa edição limitada a 50 exemplares. Vem numa embalagem de cetim preto com duas folhas feitas em escamas de peixe. No interior, O CDr, que imita os discos em vinilo, vem numa embalagem jakebox (parecendo um origami) (…) ​É um disco sobre isolamento, memórias do passado e a via para fora de tudo isso, “o grande vazio da alegria”.” Nota de Imprensa

Os temas “The girl with the razor waiting by the sea” e “The locked king” estão em audição no Soundcloud de Luís Couto, o músico por detrás de The Joy of Nature. [OUVIR]

Author: "Rui Dinis" Tags: "novidades, Moving Trees, The Joy Of Natu..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Tuesday, 19 Aug 2014 22:08

[NOTA DE IMPRENSA]

É já nos próximos dias 5 e 6 de Setembro que irá acontecer a primeira edição do Festival F, que promete trazer muita música, artesanato, teatro e comida de rua à cidade de Faro. Todas as animações irão acontecer no centro histórico de Faro, na margem da Ria Formosa, tendo como elemento aglutinador o F… daquele que será um grande Festival.

O programa do Festival F 2014 aposta em concertos de uma nova geração de músicos portugueses. Dos conceituados Dead Combo, The Legendary Tigerman, Tiago Bettencourt e JP Simões, aos brilhantes Luísa Sobral, Miguel Araújo e Samuel Úria ,que aqui se irão apresentar num formato acústico, não esquecendo os mais interessantes projectos emergentes como Capicua, Capitão Fausto e The Black Mamba.

Sexta feira a noite termina ao som de Diego Miranda e sábado é a vez dos DJ´s Antena 3 Mónica Mendes e Rui Estevão porem Faro a dançar.

Distribuídos por 3 palcos (Largo Afonso III, Castelo e Claustros do Museu) as noites de 5 e 6 de Agosto prometem contagiar não apenas os farenses mas também os que estão de passagem e que cada vez mais elegem a cidade como um destino de férias.
Os bilhetes terão venda antecipada no Teatro das Figuras por 10€ (entrada para os 2 dias se comprado até dia 3/9). Nos dias do Festival as entradas serão adquiridas junto ao recinto e têm o valor de 12€ (para os 2 dias) e 8€ (bilhete diário)

O Festival F é uma organização da Câmara Municipal de Faro, Teatro das Figuras e Ambifaro e tem o apoio da Antena 3.

DIA 5
Dead Combo, The Legendary Tigerman, JP Simões, Samuel Úria, The Black Mamba, Diego Miranda

DIA 6
Miguel Araújo, Tiago Bettencourt, Luísa Sobral, Capicua, Capitão Fausto, DJs Antena 3: Mónica Mendes e Rui Estevão

FESTIVALf

Author: "Rui Dinis" Tags: "eventos, Capicua, Capitão Fausto, Dead ..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Sunday, 17 Aug 2014 23:55

A trompa saiu à rua. Saiu sexta e sábado à tarde e foi espreitar o Sol da Caparica, um novo festival dedicado na sua essência à música lusófona e aos músicos portugueses, mas não só. Para muita pena minha, na quinta-feira não deu. Foi pena. Importante é que a música deu mesmo à costa.

Dia 15 de Agosto, sexta-feira.

freddielocks_sol
Freddy Locks © Foto: Rui Dinis

Para começar e infelizmente, já não deu para ouvir com atenção Orlando Santos. Mas o pessoal parecia feliz. Em boa verdade, para este lado, a festa só começou mesmo com Freddy Locks. Eram para aí 19h, no palco secundário – chamaram-lhe Palco Blitz. A toada foi quase sempre morna, sendo que as maiores vibrações sentiram-se já no fim com temas como o clássico “Bring Up The Feeling” e o novo “Iration”. Seguiam-se os Diabo na Cruz no Palco SIC/RFM; que é o mesmo que dizer, seguiu-se o show do xô Cruz. Para a história ficou um grande concerto, bem mais rock que popular, como se ouve em disco. Mas foi show. Já no fim, deu ainda para espreitar Macadame. O grupo liderado pela voz de Vânia Couto merecia maior assistência. Merecia mesmo. Com Deolinda assistiu-se a um dos momentos altos do dia. O grande formato dos Deolinda, com Sérgio Nascimento (Sérgio Godinho, David Fonseca, etc.) na bateria, percussão e produção, torna a experiência do grupo de Ana Bacalhau em algo ainda mais grandioso. O povo adorou. No outro lado, no palco secundário, apenas uma palavra para descrever os últimos 5 temas que consegui desfrutar de Júlio Pereira (cavaquinho): Respect. Brilhante, não menos brilhantemente acompanhado por Sandra Martins (violoncelo), Miguel Veras (viola) e Luís Peixoto (bouzouki). A merecer mais palco, mais gente. Sobre os 5-30 de Regula, Fred e Carlão, este último a jogar em casa, dizer apenas que cumpriram com o esperado. Sam the Kid deu aquela ajuda. No outro lado, a Kumpania Algazarra dava uma daquelas suas aulas de ginástica, sempre com aquela conhecida e bem vinda boa disposição. Para este vosso amigo, a noite terminaria com o aprumado espectáculo dos leceiros Expensive Soul, sempre bem agitado pelo animador de serviço, Demo. Os músicos, o coro liderado por Filipe Gonçalves e o inimitável New Max fizeram o resto, num concerto ganho desde o início. O povo adorou, outra vez. Não deu para ver Pedro Abrunhosa, já estava um pouco frio e o corpo cansado estava.

juliopereira_sol
Júlio Pereira © Foto: Rui Dinis

Dia 16 de Agosto, sábado

capicua_sol
Capicua © Foto: Rui Dinis

Novo dia, mais música. E o novo dia começou com a angolana Aline Frazão. E começou bem, ainda que com pouca gente e esta um pouco retraída face à doçura da voz de Aline. Logo de seguida, um grande momento com Capicua. Eram 19h e já uma pequena multidão se acercara do palco. Ver Capicua ao vivo completou o quadro que se inicia com a audição de qualquer um dos seus registos. Quando tudo é dito com alma, ritmo e sentido. Brilhante, com M7 também na voz e D-One nos pratos. Um dos grandes momentos do dia. Sobre Sensi vi pouco e o pouco que vi, não me deixou particulares recordações. Vi pouco. Depois de espreitar um pouco da morna e do funaná da caboverdiana Ceuzany, aproximei-me de novo do palco secundário onde Frankie Chavez nos haveria de proporcionar mais um grande momento sonoro. Poderoso o rock & blues de Frankie Chavez, sempre bem acompanhado por João Correia na bateria. Muito bom. Entretanto e já com algum atraso acumulado, Rita Redshoes ficou pelo caminho. Não vi. Mas se calhar devia ter visto. A opção por António Zambujo revelou-se uma das maiores desilusões do festival. Vi apenas um António Zambujo esfíngico, preocupado, pouco ligado, decidido apenas em dar a sua festa por terminada. E deu e foi pena. E depois veio David Fonseca, qual estrela do pop & rock luso. Foi um concerto cheio de energia, como é habitual, corrente sonora que nem as duas falhas técnicas conseguiram quebrar. Profissional, como sempre. Para o fim, o grande Anselmo Ralph. Estavam já 20.000 almas à sua espera e o músico não as defraudou. Mesmo que tudo pareça demasiado igual, alguém que consegue encaixar a expressão “respiração boca a boca” na letra de uma canção qualquer merecerá sempre o meu respeito.

Enfim, um festival que foi uma boa surpresa. Boa música a preços bem convidativos. E parece que para o ano há mais música a dar à costa.

[SÍTIO]

frankiechavez_sol
Frankie Chavez © Foto: Rui Dinis

Author: "Rui Dinis" Tags: "concertos, Featured, olhares, 5-30, Alin..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Wednesday, 13 Aug 2014 22:51

530_cover

Chama-se “Vício” e é o segundo single a ser retirado do homónimo álbum de estreia dos 5-30, um projecto que reúne no seu seio, Carlão (Algodão e Dias de Raiva; ex: Da Weasel), Fred (Orelha Negra e Buraka Som Sistema) e Regula. Este é o vídeo, numa realização de João Pedro Moreira. [OUVIR]

Author: "Rui Dinis" Tags: "videoclip, 5-30"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Wednesday, 13 Aug 2014 22:33

lachanson_fantasma

Author: "Rui Dinis" Tags: "gig, La Chanson Noire"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Wednesday, 13 Aug 2014 22:26

meugeneral

Author: "Rui Dinis" Tags: "gig, Meu General"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Wednesday, 13 Aug 2014 22:18

sickonce_rmx

Chama-se “SICKONCE – RMX” e é um novo EP de remixes produzido por  Sickonce (aka DJ Gijoe). O selo é da editora independente algarvia Kimahera. Nas palavras do próprio:

“Peguei em algumas faixas soltas, maioritariamente de artistas internacionais e ao longo dos últimos tempos dei-lhes uma volta no sentido de enfatizar o que essas músicas, quanto a mim, já tinham de bom e na maioria dos casos torná-las mais apetecíveis para passar nos meus sets enquanto DJ (Gijoe).
Se quisermos rotular andei, sem me me limitar a fronteiras de estilos, por ambientes TRAP, Drum ‘n’ bass, Dubstep, Electrónica e claro Hip hop.
Apesar da minha já vasta lista de edições, umas físicas, outras digitais, esta era uma área que sempre fui experimentando, mas que nunca concretizei em nenhum lançamento. Aqui fica o meu primeiro trabalho à volta de remixes.” Nota de Imprensa

O disco está disponível para download legal e gratuito – no sistema “name your price”.[DOWNLOAD LEGAL]

Author: "Rui Dinis" Tags: "custo zero, Dj Gijoe, Sickonce"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Wednesday, 13 Aug 2014 22:03

bid_red_panda

O movimento stoner minhoto tem mais um nome a fixar: Big Red Panda.

Formados por Pedro Ferreira (voz, guitarra e sintetizador), Hugo Quintela (guitarra), Kevin Pires (guitarra), Nuno Silva (baixo) e Francisco Dantas (bateria), o grupo de Ponte Lima acaba de lançar o seu álbum de estreia. São 50 minutos em sete temas marcados por um envolvente psicadelismo.

O disco está em audição no Bandcamp do projecto. [OUVIR]

Author: "Rui Dinis" Tags: "novos sons, Big Red Panda"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Tuesday, 12 Aug 2014 22:42

casaep

QUARTO C

Ano de Formação: 2012.

Localidade: Fafe.

Composição da Banda: 
Carlos Costa – voz e guitarra;
Catarina Costa – voz e ukulele;
Cíntia Costa – voz, percussão simples, xilofone e melódica;
João Martins – voz, cajon e melódica.

Género e/ou Estilo: Acústico, Folk e Pop.

Discografia
Casa EP (2014).

Caracterização:
Em formato acústico, os Quarto C chegam com um pop de proximidade, com raízes folk. As palavras que cantam assumem um papel preponderante na mensagem de esperança que tentam transmitir. De relação íntima com o mundo que os rodeia, os sons que materializam trazem as emoções à flor da pele.

Outras informações:
Crítica ao “Casa EP”, por Nuno Ávila, do “Santos da Casa” - goo.gl/MWilUV.

[FACEBOOK | BANDCAMP | SOUNDCLOUD]

–>O PALCO TAMBÉM PODE SER TEU. CLICA AQUI.

Author: "Rui Dinis" Tags: "O Palco é Teu, Quarto C"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Tuesday, 12 Aug 2014 22:27

febre

Uma nova editora, um novo disco:

“A CTVS Records tem o prazer de anunciar o lançamento do álbum de estreia da Febre! A nova banda rock portuguesa que finalmente trás as raízes do rock de volta, o som puro das guitarras.
A Febre! É clássica e moderna, densa e complicada, contagiante e apaixonada e cheia de virtuosismos que por vezes abrem caminho em linha recta e, noutras vezes, criam jogos complexos de palavras que se leva tempo a entender. E, é desta maneira, tal como um vírus que se adapta à forma de ser de cada um, que se dissemina o “Rock Adulto Passional” da Febre!
Formaram-se em 2011, após 18h de uma jam section, consequência do reencontro de Eduardo Condorcet, membro da formação original dos ex-votos, com Francis Riba, um dos fundadores dos ZEM.
Finalmente, após um percurso atribulado, surge o seu primeiro álbum o EP “Tudo o que te quis dizer” com 5 temas inéditos.” Nota de Imprensa

Os Febre! são formados por Eduardo Condorcet (voz e guitarra), Francis Riba (baixo e voz), Miguel Ribeiro (guitarra) e Kamané (bateria). [OUVIR]

Author: "Rui Dinis" Tags: "breves, CTVS Records, Febre!"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Tuesday, 12 Aug 2014 22:20

atlanticbeat

Os OqueStrada têm novo disco, chama-se “Atlantic Beat – Mad´in Portugal” e a trompa quis saber um pouco mais sobre o mesmo…

Os OqueStrada estão a comemorar 12 anos de “vadiagem”. Conseguem apontar uma coisa boa e uma outra menos boa trazida por tal demanda?
São 12 anos de muita paixão pela música e pelo público. Isso faz-nos ainda estar presentes e com vontade de dar o nosso melhor e isso é o melhor de tudo. É muito bom também saber que temos um público em Portugal que aprecia e conhece a nossa história musical, é fantástico também perceber que apesar de só termos gravado 2 discos em 12 anos o nosso trabalho é respeitado em Portugal e na Europa. A menos boa continua a ser tocarmos tão pouco no nosso próprio país apesar de termos muitos espectáculos no circuito internacional gostaríamos de nos apresentar mais ao público português.

Está aí o novo disco, “Atlantic Beat – Mad´in Portugal” (Sony Music, 2014), que batida atlântica é esta?
É uma batida romântica, com muita maresia e iodo. Que nos traz canções feitas para dançar e chorar um bocadinho, como costumo dizer: dançar faz bem, chorar também!
Esta batida foi apurada “TascaBeat: o sonho português” com instrumentos de fado tocados por quem vem de outros fados. Uma voz, uma viola, uma guitarra portuguesa, um baixo (a nossa contrabacia) aos quais juntámos posteriormente um acordeão (também ele ligado ao fado; inclusive há fados para acordeão) e um trompete o único que sai fora do naipe.
É uma batida acústica que nos traz uma maresia atlética mas um pouco mais emotiva que o nosso primeiro disco, que era mais festivo. Apesar das nossa canções não terem um formato tradicional são orelhudas, chamo-lhes canções progressivas pois até têm um refrão mas é preciso descobri-lo; foram feitas com o coração e o coração não tem fórmulas. “AtlanticBeat mad’in Portugal” fala-nos dos países do sul e de Portugal, como a entrada da Europa e não como porta dos fundos.

É para vocês claro, alguma evolução neste novo disco, quer em termos estéticos, quer em termos poéticos? Onde?
Apesar de bastante diferentes um do outro são ambos fábulas musicais. O “TascaBeat: o sonho português” sugeria um encontro entre quem vive no país, entre o norte e o sul, entre os centros e as periferias; o “AtlanticBeat mad’in Portugal” sugere uma alma atlântica ao encontro do mundo. Depois da tasca, a brisa atlântica. Na tasca os portugueses reencontram-se, em AtlanticBeat conversam o mundo. De tascabeateiros a atlanticbeateiros.
TascaBeat é alfaiate de bairro, o AtlanticBeat filigrana. TascaBeat é rio, é Tejo, AtlanticBeat é oceano, é atlântico. No TascaBeat fizemos a travessia entre as duas margens, no AtlanticBeat desviámos a rota para navegar em águas mais profundas. Mas ambos têm em comum a nossa batida poética.

oquestrada

Têm neste disco um tema inédito de António Variações. Porquê a escolha? É de alguma forma uma influência para OqueStrada?
O Variações foi uma influência enorme no país pela sua atitude na música e a sua ousadia. Há tempos que era um desejo nosso mas por um acaso este ano tivemos uma surpresa e a sua família convidou-nos para tocar um inédito para o novo disco. Claro que foi um orgulho imenso este convite. Ouvimos algumas das famosas maquetes que o Variações gravou. Nós escolhemos “Parei na Madrugada”, achámos que a sua escrita encaixava no puzzle de 10 canções do novo disco e foi a última a entrar. Este tema está no repertório do disco inserido ao que chamámos a Trilogia da Santíssima Trindade na qual juntámos 3 almas portuguesas e muito atlânticas: O Fernando Pessoa, do qual escolhemos musicar um poema dele O Comboio Descendente (do qual o Zeca Afonso tinha feito uma outra canção), a Amália Rodrigues também com um poema da sua autoria já que escrevia maravilhosamente e quisemos pôr em evidência esse seu talento com o poema Os Teus Olhos São Duas Fontes. Enquanto o TascaBeat foi abençoado por os Fadistas de Garra, AtlanticBeat é abençoado por esta Trindade.

Da tasca para o mundo, da rua para a entrega do prémios Nobel, que swing é esse que tanto cativa toda a gente, em Portugal e no estrangeiro, onde se têm apresentado com tanto sucesso?
Costumo dizer que o nosso sonho português começou numa pequena tasca de Lisboa e cresceu até ao Prémio Nobel da Paz. Creio que conquistámos um som muito próprio e essa originalidade que por vezes dificulta as coisas, pois o mercado não sabe em que prateleira colocar, também cativa por isso mesmo por ser um swing com uma marca muito própria que se aloja no coração de quem o ouve. Na Europa, os programadores de festivais quando ouviam o primeiro disco perguntavam-se “que som é este? Queremos vê-los ao vivo”. E assim actuámos em centenas de festivais, para um público que pouco conhece de Portugal para além do fado.

Que avaliação fazem das apresentações ao vivo do disco ocorridas na Casa da Música e no Tivoli?
Foram dois espectáculos divinais, para nós um regresso aos palcos portugueses. Foram também muito diferentes no norte fizemos a estreia do repertório, estávamos mais nervosos pois era a primeira vez que tocávamos os novos temas e também a nossa estreia na Casa da Música mas o público foi incrível, esteve connosco do princípio ao fim. Em Lisboa, foi um regresso ao Tivoli, a sala onde lançámos o primeiro álbum “TascaBeat o sonho português”. Estávamos em 2009 e voltar a este palco e tocar na nossa cidade também foi extraordinário. Para além disso, vimos o público a cantar connosco muitos dos novos temas, o que foi delicioso.

Depois da apresentação ao vivo do disco, como vai ser o futuro próximo dos OqueStrada?
O nosso disco terá lançamento internacional em breve. Este ano, iniciamos a nossa tourné internacional na Alemanha com 8 espectáculos e, para o ano, estão marcadas mais datas internacionais. [OUVIR]

Author: "Rui Dinis" Tags: "em directo, Featured, olhares, OqueStrad..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Tuesday, 12 Aug 2014 22:06

“Dirty Little Brother” é o novo disco dos The Black Mamba. É editado a 22 de Setembro.

Buraka Som Sistema assinam com a Universal Music para todo o mundo. Em todo o mundo a 8 de Setembro.

Chama-se “The Juggler” e é o tema de avanço para o novo disco dos Heavenwood, “The Tarot Of The Bohemians” (2014).

É o lyric video para o tema de avanço do novo álbum dos Donna Maria, um disco a editar em 29 de Setembro. O tema chama-se “A Rosa e o Espinho”.

“E Agora?” é o novo single de Mikkel Solnado, com Joana Alegre. O álbum “Daisy Chains” é editado em Outubro.

Author: "Rui Dinis" Tags: "clipping, Buraka Som Sistema, Donna Mari..."
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Date: Tuesday, 12 Aug 2014 21:48

HERCULEE

Chama-se “Good Music” e é o primeiro single a ser extraído de “Pure Intuition”, o álbum de estreia a solo de Herculee (aka Herculano Saraiva).  O disco tem edição prevista para 5 de Setembro, numa edição da Toothless Tiger Records.

Author: "Rui Dinis" Tags: "brevíssimas, Herculee"
Comments Send by mail Print  Save  Delicious 
Next page
» You can also retrieve older items : Read
» © All content and copyrights belong to their respective authors.«
» © FeedShow - Online RSS Feeds Reader